Tamanho do texto

Uma avaliação interna de que as explicações do TCU ganharam força e podem fortalecer tese de impeachment da oposição

Luís Adams, advogado geral da União deve ser o primeiro a defender
Agência Brasil
Luís Adams, advogado geral da União deve ser o primeiro a defender "oportunidade" de explicação

O governo federal resolveu encarar a decisão do Tribunal de Contas da União (TCU) de dar o prazo de 30 dias para que a presidente Dilma Rousseff apresente explicações como um “oportunidade”. A decisão foi tomada na manhã desta quarta-feira (17) e os ministros já estão orientados defender esse discurso.

O TCU adiou a votação do relatório prévio que analisa as contas do governo de 2014. É a primeira vez que o tribunal convoca um presidente a se explicar. Essa decisão foi tomada hoje por unanimidade no TCU, acompanhando o voto do relator do processo, Augusto Nardes.

Leia mais:  TCU dá prazo de 30 dias para que Dilma explique contas de 2014

TCU:  Entenda a polêmica por trás das "pedaladas fiscais"

O governo é acusado em 2014, ano eleitoral, de ter usado recursos dos bancos públicos para pagamento de benefícios sem que o Tesouro Nacional fizesse os devidos repasses. Esse artifício ficou conhecido como "pedaladas fiscais".

Ainda nesta tarde o responsável pela defesa do governo, o advogado geral da União, Luis Adams, deverá falar sobre o assunto. O governo alega que não tinha conhecimento total sobre as acusações já que não teve acesso ao relatório do ministro Augusto Nardes antes de ele ser apresentado aos demais ministros do TCU.

O governo avalia que agora poderá dar explicações específicas e concretas sobre as chamadas pedaladas fiscais. Integrantes do governo têm consciência da denúncia, principalmente porque há uma avaliação interna de que as decisões do TCU ganharam peso ao longo dos últimos anos. Por isso vários ministros chegaram a procurar o relator do processo, o ministro Augusto Nardes, para conversar. A oposição, por sua vez, também se dedicou nas últimas semanas a conversas com Nardes por entender que a possível condenação de Dilma por crime de responsabilidade poderia motivar um pedido de impeachment.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.