Tamanho do texto

Causa do acidente, entretanto, não foi esclarecida; indícios são de que Thomaz não estava no comando na hora do acidente

Fotos mostram pinos intactos e derruba tese de pás terem se soltado durante o voo
Reprodução/TV Globo
Fotos mostram pinos intactos e derruba tese de pás terem se soltado durante o voo

Dois controles do helicóptero em que estava Thomaz Alckmin , filho do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), estavam desconectados na hora de decolagem, informou a Força Aérea Brasileira (FAB) nesta terça-feira (2). A investigação, entretanto, ainda não concluiu que tenha sido essa a causa da queda, ocorrida em 2 de abril em Carapicuíba , na Região Metropolitana de São Paulo. Thomaz e outras quatro pessoas morreram na ocidente.

"Controles flexíveis ( ball type ) e alavancas ( bellcranck ) – dois componentes fundamentais para o piloto controlar a aeronave em voo –– estavam desconectados antes da decolagem", informou a FAB, em nota. "Pelo fato de a investigação estar em andamento, ainda não é possível apontar conclusões acerca dos fatores contribuintes que desencadearam o acidente."

Thomaz Alckmin (à esquerda), ao lado dos irmãos Sophia e Geraldo
Reprodução/Facebook
Thomaz Alckmin (à esquerda), ao lado dos irmãos Sophia e Geraldo

A investigação também aponta que Thomaz, que era piloto de helicóptero, não estava no comando na hora da queda. Segundo a nota, evidências indicam que o comandante estava pilotando a aeronave em todas as fases do voo.

O helicóptero também não apresentou sinais de danos anteriores à queda. Testemunhas chegaram a afirmar ter visto uma pá da aeronave se soltar no ar, mas essa tese não foi confirmada pela Aeronáutica. "Os danos encontrados nos motores, transmissão principal e de cauda, pás do rotor principal e de cauda e demais componentes da aeronave foram consequências e não causas da queda."

Leia também:

- Alckmin não sai do lado do caixão; corpo está sem ferimentos aparentes

- Pás não se soltaram de helicóptero que matou filho de Alckmin, diz Fantástico

- Lu Alckmin posta reflexão sobre Santo Agostinho para falar da morte do filho

O helicóptero, com quatro anos de uso, era submetido a um voo-teste no momento do acidente e a documentação e sua manutenção estavam "rigorosamente em ordem", informou a Seripatri, empresa responsável, à época do acidente. A FAB confirma que o voo era o primeiro após dois meses de "intervenções previstas de manutenção", mas que ainda analisa a documentação.

Thomaz tinha 31 anos e deixou duas filhas. Também morreram no acidente Carlos Haroldo Isquerdo Gonçalves, 53, amigo do filho do governador, e os mecânicos Paulo Henrique Moraes, 42, Erick Martinho, 36, e Leandro Souza, 34.







    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.