Tamanho do texto

Com a 'Marchinha do proibidão', petistas ironizam decisões polêmicas da Prefeitura e convocam a população para 'reocupar o espaço público em São Paulo'

O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (PSD), que no início da pré-campanha eleitoral deste ano chegou a flertar com o PT , mas depois anunciou apoio à candidatura do ex-governador José Serra (PSDB), de quem foi vice-prefeito entre 2005 e 2006, virou alvo do site da campanha do petista Fernando Haddad à Prefeitura de São Paulo.

Leia mais: FHC, sobre rejeição a Serra: 'Algo caiu mal na imagem, mas isso muda'

Leia também: Na TV, Serra 'abraça' Kassab, e Haddad critica prefeito com 'tempo novo'

Em um vídeo intitulado “Marchinha do proibidão”, postado nesta quinta-feira (23) no “Blog H”, uma das seções da página de campanha do ex-ministro da Educação ( pensenovotv.com.br ), Kassab é ironizado por supostas proibições determinadas pela administração municipal durante seu mandato.

Saiba mais: No rádio, Lula apresenta Haddad com críticas a Serra

Leia também: Lula estreia na TV pedindo votos para Fernando Haddad

Veja abaixo o vídeo postado no site de Fernando Haddad:

“Você sabe onde é que fica a cidade proibida? Você é sabe, é no reino do Kassab”, diz a letra da canção entoada por simpatizantes da candidatura Haddad. “Proibiu o músico de rua, proibiu a feira popular, proibiu o feirante de gritar [...] Proibiu a sopa, o ovo mole da padaria, e com Serra ele quer continuar.”

Leia mais: Kassab minimiza perda de liderança de Serra em pesquisa eleitoral

No post publicado no “Blog H”, cujo título é “São Paulo proibidona”, o site de Haddad anuncia que “artistas de rua – músicos, atores, circenses, dançarinos, estátuas vivas – querem reocupar o espaço público em São Paulo”. Ainda de acordo com os petistas, a atual gestão da Prefeitura acredita que “o lugar do cidadão” é “da porta de casa (do condomínio, do carro, do shopping center) para dentro – e políticos que não têm nenhum jeito de ser fãs de funk comandam o proibidão”.

Em junho deste ano, Kassab foi alvo de uma série de críticas após declarações de seu secretário de Segurança Urbana, Edsom Ortega, que anunciou a proibição de distribuição de sopas aos moradores de rua da cidade. Após a repercussão negativa, o prefeito desautorizou o secretário e questionou a expressão “proibição” utilizada por Ortega.

"Eu discordo da expressão dele. E ele mesmo já corrigiu. O que existe é um permanente processo de convencimento e abordagem para que as pessoas se alimentem em lugar certo”, afirmou Kassab na ocasião, em alusão às tendas criadas pela Prefeitura para atendimentos dos moradores de rua.