Tamanho do texto

Após conseguirem liminares impedido a discriminação nominal das remunerações, Câmara e Senado trabalham para disponibilizar dados reformulados

Agência Brasil

Com as duas liminares favoráveis ao Sindicado dos Servidores do Poder Legislativo Federal e do Tribunal de Contas da União (Sindilegis) proibindo a divulgação nominal dos salários dos servidores da Câmara e do Senado, as duas Casas decidiram que farão a divulgação dos vencimentos, mas sem os nomes dos trabalhadores.

Deputados:  Justiça barra divulgação de salários de servidores da Câmara

Senadores: Justiça barra divulgação nominal de salários do Senado

Atendendo à Lei de Acesso à Informação , Câmara e Senado haviam anunciado que divulgariam, a partir desta terça-feira, os salários de servidores e parlamentares, inclusive com os respectivos nomes. Mas na noite de segunda, o Sindilegis conseguiu na Justiça a suspensão da divulgação nominal.

Saiba mais: Conselho Nacional de Justiça cobrará tribunais sobre publicação de salário

O sindicato argumenta que a divulgação nominal fere a privacidade, a intimidade e a imagem dos trabalhadores, além de representar risco à integridade dos servidores. O presidente do Sindilegis disse que a instituição defende a divulgação dos salários, mas sem expor os nomes dos servidores.

As duas Casas foram notificadas e decidiram refazer as listas retirando os nomes dos servidores. A Direção-Geral da Câmara informou que deve colocar em seu site a lista dos salários dos servidores até quarta-feira. Já o Senado não estipulou prazo para publicar os salários.

De acordo com a diretora-geral do Senado, Doris Peixoto, técnicos da Secretaria Especial de Informática do Senado (Prodasen) estão trabalhando para modificar os arquivos que serão posteriormente publicados no Portal da Transparência do Senado.