Modelo trans Alice Felis
Fabio Rossi/Agência O Globo
Alice Felis foi nesta quinta (20) reconhecer suspeito

A modelo trans Alice Felis , de 25 anos, fez, nesta quinta-feira (20) o reconhecimento facial do homem suspeito de agredi-la e roubá-la dentro de seu próprio apartamento , no bairro de Copacabana, Zona Sul do Rio. Na 13ª DP (Copacabana), a vítima confirmou a identidade de Lucas Brito Marques, de 24 anos, que se entregou a policiais civis que negociavam sua rendição desde o início da noite de quarta na ladeira Saint Roman, um dos acessos à favela Pavão-Pavãozinho.

"Eu reconheci. Foi horrível ficar cara a cara com ele, ainda estou com medo, eu quase não tive coragem. Eu ainda estou muito abalada. Não sei se vou precisar fazer alguma cirurgia de correção. Mas eu sei que ainda não me sinto segura. Estou um pouco aliviada, mas graças a Deus ele foi preso e identificado. É um alívio", diz Alice, que contou pelas redes sociais que vinham sendo ameaçada pelo suspeito.

Alice chegou na delegacia por volta de 10h e acompanhada pela advogada e por uma amiga. Dentro da 13ª DP, Alice mostrou-se emocionada enquanto caminhava até a sala para o reconhecimento presencial. Em uma rede social, Alice postou: "Urgente: acabei de fazer o reconhecimento do homem que tentou me matar".

"Agora vou começar a me tratar de todas as formas que eu puder, psicologicamente, fisicamente e mentalmente. Eu só tenho gratidão a todo mundo que me ajudou. Nós temos que ser fortes e não desistir. Denunciem em casos como esse, tenham a coragem que eu tive. No início eu tive muito medo disso tudo. Mas eu sobrevivi. Nunca imaginei que fosse passar por isso".

De acordo com a delegada Bianca Lima, titular da 13ª DP (Copacabana), o suspeito tem várias passagens pela polícia. Além da confirmação feita pela vítima na manhã desta quinta, o reconhecimento facial feito pelo Instituto Félix Pacheco (IFP) também confirmou a identidade do homem, com base em fotos entregues pela modelo.

"Ele tem passagens por roubo, trafico de drogas, porte ilegal de arma e homicídio. Numa primeira conversa, ele confirmou que estava com ela, mas narra uma versão diferente. Vamos aguardar os laudos dos exames periciais solicitados e apurar se ele sabia que a modelo era trans. Estamos no meio da investigação policial ainda".

Para a delegada, o depoimento de Alice foi fundamental para o entendimento do caso. Lucas está com a prisão temporária de 30 dias decretada e será encaminhado para a Polinter antes de ir à unidade prisional. Ele vai responder por tentativa de latrocínio (roubo seguido de morte), já que, segundo a delegada, o roubo do dinheiro seria o principal motivo do crime, e por transfobia.

"A teoria da tentativa de latrocínio foi concluída com base no depoimento firme, convincente e emocionado da vítima. Ela conta que foram até o apartamento dela, começaram a se relacionar, ele passou a agredi-la barbaramente e roubou então os R$ 3,6 mil reais da vítima", detalha Bianca.

As negociações para que o suspeito se entregasse à polícia foram realizadas com parentes de Lucas, que também residem na comunidade. Alice foi agredida em seu apartamento , na madrugada de domingo. Segundo a versão de Alice, confirmada pela polícia, os dois se conheceram na rua, na noite de sábado, e foram até o imóvel.

    Veja Também

      Mostrar mais