Tamanho do texto

"Precisando de um táxi estou mesmo, mas não ando com negros", afirmou a mulher de 36 anos, em Belo Horizonte, antes de cuspir no sapato do taxista

táxi BH arrow-options
BHTrans/Divulgação
O taxista relata que questionou se a mulher sabia que ela estava cometendo um crime

Uma mulher de 36 anos foi presa por injúria racial contra um taxista  nesta quinta-feira (5), em Belo Horizonte (MG). Segundo o boletim de ocorrência feito pelo condutor, ela teria falado que não anda com negros e cuspido no pé do motorista. Segundo a Polícia Militar, a mulher também teria chamado uma sargento de "sapata" na delegacia. A informação é do jornal Estado de Minas .

Leia também:  “A fome me preparou para a dor”, diz jovem que perdeu couro cabeludo em kart

O taxista relata que havia visto a mulher discutindo com um idoso em frente a uma agência bancária. Preocupado com o homem, o motorista foi até eles perguntar se o idoso estava precisando de um táxi. A mulher, então, teria respondido: "precisando de um táxi estou mesmo, mas não ando com negros".

O motorista conta que questionou se ela sabia que estava cometendo um crime – de injúria racial – por sua fala e ela teria argumentado que “ não gosto de negro mesmo, sou racista ”. Depois de dizer isso ainda teria cuspido no pé dele.

Leia também: Briga entre deputados na Alesp tem xingamentos, empurrões e até mordida; assista

A mulher foi conduzida para a Delegacia Adjunta ao Juizado Especial Criminal (Deajec) e detida por crime de racismo . No local, a sargenta foi chamada de "sapata" após ter solicitado que a mulher se sentasse.