Tamanho do texto

CIDADE DO MÉXICO - O aeroporto de Cancún, no México, registrou grande movimento de turistas estrangeiros que resolveram abandonar os resorts mais cedo por medo da gripe suína.

Operadoras de turismo colocaram voos extras para repatriar seus clientes. As praias estão quase desertas. Nos hotéis, o número de hóspedes caiu pela metade.

Turistas deixam Cancun / Reprodução

Há temores de que o êxodo de turistas acabe prejudicando bastante a economia local. O país mais afetado pela doença continua sendo o México, onde há suspeita de que 168 mortes tenham sido causadas por gripe suína - oito delas foram confirmadas.

Como parte de novos esforços para conter o avanço da doença, o presidente do México, Felipe Calderón, anunciou a suspensão parcial de serviços não-essenciais entre os dias 1 e 5 de maio e pediu que a população ficasse em casa nesse período.

O segundo país mas afetado são os Estados Unidos, onde há 91 casos confirmados e onde houve a primeira vítima fatal fora do México, um bebê mexicano de 23 meses, que morreu no Estado do Texas.

Na Europa, o diretor-geral para Saúde da União Europeia, Robert Madelin, alertou que o vírus causador da gripe suína poderia matar milhares de pessoas no continente.

O Ministério da Saúde do Brasil informou que há dois casos suspeitos no Brasil: um em São Paulo e outro em Belo Horizonte (MG).

Leia também:

Entenda a gripe suína:

Gripe suína no Brasil

Gripe suína e a economia

Leia mais sobre: gripe suína

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.