Tamanho do texto

O presidente israelense Shimon Peres criticou duramente o Irã nesta quarta-feira na Assembléia Geral da ONU, acusando a República Islâmica de estar no centro da violência e do fanatismo no Oriente Médio.

"O Irã ocupa o lugar central nesta violência e neste fanatismo", declarou Peres diante da Assembléia Geral das Nações Unidas, em Nova York.

Afirmando que o Irã do presidente Mahmud Ahmadinejad "segue enriquecendo urânio e produzindo mísseis de longo alcance", Peres destacou que "cabe à Assembléia Geral e ao Conselho de Segurança da ONU prevenir os desastres antes que eles aconteçam".

"O Irã combina mísseis de longo alcance com espíritos de visão curta. Israel demonstrou que as democracias são capazes de se defender. Não pretendemos mudar", avisou o presidente israelense.

Shimon Peres também denunciou o questionamento do Holocausto pelo presidente Ahmadinejad e por dirigentes iranianos, que qualificou de "insulto cínico aos sobreviventes desta tragédia".

O presidente do Estado hebreu também acusou o Irã de ter "dividido o Líbano" apoiando a milícia xiita do Hezbollah, e de ter promovido dissensões entre os palestinos ao apoiar o movimento radical islâmico Hamas, que tomou o poder na Faixa de Gaza em junho de 2007.

ezz/yw/fp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.