Saiba mais sobre a revolta no mundo árabe e no Egito

Protestos contrários ao governo foram inspirados no movimento da Tunísia, que levou à renúncia de Zine el-Abidine Ben Ali

iG São Paulo | 02/02/2011 13:15

Compartilhar:

Os protestos que tomam conta do Egito desde o dia 25 de janeiro e exigem a renúncia do presidente Hosni Mubarak foram inspirados nas manifestações na Tunísia, que levaram à deposição do presidente Zine el-Abidine Ben Ali, há três semanas. A chamada "Revolução Jasmin" afetou regimes que estão no poder há décadas graças ao predomínio do medo.

Egito, Argélia, Jordânia e Iêmen são alguns dos países nos quais os cidadãos saíram às ruas para exigir seus direitos sociais, econômicos e políticos. "É uma dinâmica desencadeada no mundo árabe", disse Bourhan Ghalioun, diretor do Centro de Estudos sobre o Oriente Contemporâneo (CEOC), em Paris. "O que aconteceu na Tunísia rompeu o costume do medo e mostrou que era possível - com uma velocidade surpreendente - derrubar um regime, com uma dificuldade menor do que a imaginada."

No Egito, que vive uma onda de protestos sem precedentes, manifestantes tomaram as ruas da capital Cairo, e de outras cidades em protesto contra o governo de Mubarak, no poder há quase 30 anos. O Exército foi convocado para ir às ruas na sexta-feira (28), mas prometeu não usar a força contra manifestantes. Na terça-feira (2), Mubarak fez um pronunciamento em rede nacional em que prometeu não concorrer à reeleição em setembro. O anúncio, no entanto, não acalmou os manifestantes, que decidiram manter os protestos.

Veja nos mapas abaixo as principais mobilizações no mundo árabe e os pontos de tensão no Egito:

    Notícias Relacionadas


    Ver de novo