Tamanho do texto

Cerca de 1.500 turistas aguardam abastecimento de avião para deixarem Puerto Natales, onde estão retidos por manifestantes

Após a retirada de parte dos turistas retidos na Patagônia chilena em três voos de aviões do exército chileno, a operação foi interrompida por falta de combustível, de acordo com assessora que repassa informações sobre os brasileiros no Chile. Os turistas estrangeiros, muitos brasileiros, estão retidos na cidade de Puerto Natales por manifestantes chilenos contrários ao aumento do preço do gás. 

Entre a noite de sábado e a madrugada de domingo, idosos, gestantes, pais com crianças pequenas e pessoas com problemas de saúde foram os primeiros levados em comboio até o aeroporto de Punta Arenas, onde pegaram voos comerciais com destino a Santiago ou El Calafate na Argentina.

Cerca de 1.500 turistas aguardam o envio de reforços, mantimentos e combustível para abastecimento de veículos e aeronave disponibilizados pelo governo chileno.

O grupo que conseguiu chegar a Punta Arenas enfrenta superlotação no aeroporto e aguarda voos para deixar o Chile. Segundo Rita e Maurício Mor, turistas brasileiros que foram para Punta Arenas, afirmaram que a cidade também concentra onda de protestos contra o aumento do preço do gás no país.

Segundo a assessora de imprensa, na tarde de sábado os manifestantes fizeram nova ameaça e pediram que estrangeiros seguissem ao posto de atendimento da Cruz Vermelha, já que os hotéis onde estavam hospedados poderiam ser invadidos. Os turistas devem aguardar a retirada no posto.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.