Tamanho do texto

Niamey, 20 ago (EFE).- Os rebeldes tuaregues do Movimento dos Nigerinos pela Justiça (MNJ) desmentiram que vão depor as armas, segundo informam em comunicado divulgado no site da organização.

O comunicado contradiz declarações atribuídas ao líder do grupo, Aghaly Alambo, nas quais, segundo meios de comunicação locais, anunciou a suspensão da luta armada no Níger e no Mali, após uma reunião realizada em Trípoli com o dirigente líbio, Muammar Kadafi.

"Jamais o presidente Alambo falou de libertação de prisioneiros, de cessar-fogo ou mesmo em depor armas por parte do MNJ", afirma o texto do grupo nigerino.

O comunicado aclara que o MNJ "não é e nem será um movimento separatista", ao mesmo tempo em que destaca que "não vai depor armas até que sejam atendidas todas as suas legítimas reivindicações", que se referem ao desenvolvimento econômico e social de seu território.

EFE jo/fr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.