Tamanho do texto

Islamabad, 28 nov (EFE).- O primeiro-ministro paquistanês, Yousef Raza Guilani, falou pelo telefone nesta manhã com seu colega indiano, Manmohan Singh, para manifestar seu forte condenação aos atos terroristas ocorridos na cidade de Mumbai.

Guilani lembrou durante a conversa que o Paquistão "também é vítima do terrorismo" e agradeceu que o primeiro-ministro da Índia fora o primeiro a ligar com ele após o atentado do hotel Marriott, que causou a morte de 54 pessoas em 20 de setembro.

O primeiro-ministro paquistanês expressou suas condolências, em representação do povo e do Governo de seu país, às famílias que perderam suas "pessoas próximas e queridas" nos "desafortunados atos de barbárie".

Guilani estendeu ainda o apoio à Índia de todo seu Governo "para juntos lutarmos contra o extremismo e o terrorismo".

O primeiro-ministro da Índia, Manmohan Singh, acusou ontem terroristas com base "fora da Índia" como autores dos ataques contra Mumbai, idéia na qual insistiu hoje o ministro indiano de Relações Exteriores, Pranab Mukherjee.

Um terrorista detido pelas autoridades reconheceu vir proceder da localidade de Faridkot, no Paquistão.

Hoje, o ministro francês de Relações Exteriores, Bernard Kouchner, afirmou, de Paris, que o Paquistão não está envolvido nos atentados, embora cidadãos desse país possam ter participado. EFE igb-jrc/jp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.