Tamanho do texto

A polícia paraguaia reprimiu violentamente, nesta segunda-feira, uma manifestação de cerca de dois mil sem-teto no centro de Assunção, deixando uma dezena de feridos e mais de 30 detidos.

AFP
AFP
Manifestante é reprimido pela polícia paraguaia durante protesto dos "sem-teto "

Com cassetetes e escudos e apoiados por homens a cavalo, a polícia de choque dispersou os manifestantes que tentavam chegar ao Palácio do Governo, agredindo inclusive vários jornalistas que cobriam o incidente, a duas quadras da sede do governo.

Segundo Gilberto Cáceres, dirigente da Coordenação dos Sem-Teto, o grupo exige do presidente Nicanor Duarte "o cumprimento de suas promessas" sobre a construção de 3 mil residências populares.

"Nossa gente prefere morrer a pauladas, morrer de fome, que continuar vivendo em barracos precários", afirmou Cáceres.

Segundo Cáceres, o governo está distribuindo verbas entre supostos dirigentes "sem-teto" e a ministra da Ação Social, Judith Andraschko, já liberou importantes somas para a aquisição de terrenos e a construção de casas entre líderes "amigos".

Cáceres anunciou que os sem-teto farão outro protesto nesta terça-feira, "até que libertem os companheiros presos e o presidente cumpra suas promessas".

Leia mais sobre: Paraguai

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.