Tamanho do texto

Nações Unidas, 22 abr (EFE).- O subsecretário-geral da ONU para Assuntos Humanitários, John Holmes, disse hoje que o número de mortos por causa do conflito na região sudanesa de Darfur pode ter aumentado para 300.

000.

Holmes apresentou essa estimativa em uma sessão do Conselho de Segurança (CS), na qual fez um resumo "desanimador" sobre a grave situação humanitária na região.

"Um estudo em 2006 sugeriu que 200.000 pessoas tinham perdido a vida por causa dos efeitos combinados do conflito. Esse número deve ser maior hoje. Talvez tenha crescido em 100.000", afirmou.

Holmes também se disse "triste e furioso", já que, passados cinco anos depois o início dos confrontos entre os rebeldes de Darfur e o Governo de Cartum, "não foi encontrada uma solução duradoura para o sofrimento de milhões de homens, crianças e mulheres".

Segundo cálculos do diplomata, 4,27 milhões dos seis milhões de habitantes de Darfur "foram gravemente afetados pelo conflito".

Destes, 2,45 milhões são deslocados internos e outros 260.000 buscaram refúgio nos vizinhos do Chade e República Centro-Africana.

Holmes também disse que a situação "continua tão desanimadora" como há um ano, quando apresentou ao CS uma outra avaliação da situação humanitária em Darfur.

Ainda segundo o subsecretário-geral para Assuntos Humanitários, o aumento da violência obrigou outros 100.000 civis a deixar suas casas nos primeiros quatro meses de 2008.

Holmes culpou o grupo rebelde Movimento Justiça e Igualdade por ter iniciado a nova onda de violência na região.

Ao mesmo tempo, criticou o Governo sudanês por, de novo, não diferenciar alvos militares de civis e por utilizar as milícias Janjaweed para "aterrorizar" a população. EFE jju/sc

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.