Tamanho do texto

Washington, 16 mar (EFE).- O aspirante democrata à Casa Branca Barack Obama, que se distância de sua rival Hillary Clinton em número de delegados rumo à convenção do partido, tentou hoje projetar uma imagem presidencial com um duro ataque contra George W.

Bush em política externa.

Em um comício em Dakota do Sul, onde serão realizadas primárias no dia 3 de junho, Obama acusou Bush de ter fortalecido inimigos dos Estados Unidos como Irã, ou o grupo radical palestino Hamas, com suas "políticas fracassadas".

Obama envolveu-se em uma polêmica com Bush e o candidato presidencial republicano, John McCain, depois que o presidente americano, em discurso perante o Parlamento israelense, comparou os que propõem o diálogo com o Irã com que os que tentavam a conciliação com o regime nazista, antes da Segunda Guerra Mundial.

A Casa Branca declarou que esses comentários, feitos na quinta-feira, não estavam dirigidos especificamente ao aspirante democrata.

No entanto, segundo Obama, que defende contatos diretos com Governos hostis aos EUA como o de Teerã, as palavras de Bush representam "exatamente o tipo de ataque deplorável que dividiu os EUA" e os afasta do resto do mundo.

Obama também dirigiu duras palavras a McCain, contrário ao diálogo com essas nações, ao assegurar que o candidato republicano guarda "a crença ingênua e irresponsável de que algumas palavras duras de Washington convencerão o Irã de que deve abandonar seu programa nuclear e seu apoio ao terrorismo".

O senador por Illinois desafiou Bush e McCain a realizar um debate sobre política externa, garantindo que seria capaz de ganhá-lo.

Outros representantes democratas, por sua parte, acusaram o republicano de aplicar dois pesos e duas medidas, depois da divulgação de uma entrevista na qual se declarava a favor do diálogo com o Hamas.

A campanha de McCain explicou que seu candidato "sempre achou que um diálogo sério exigiria algumas condições, e necessitaria que o Hamas realizasse várias mudanças".

Faltando apenas cinco primárias - Kentucky, Oregon, Porto Rico, Dakota do Sul e Montana -, os republicanos vêem Obama cada vez mais como o candidato ao qual terão que enfrentar nas eleições de 4 de novembro.

Obama conta com uma vantagem de 1.904 delegados frente aos 1.717 de Hillary, segundo a rede de televisão "CNN". No total, são necessários 2.025 para conseguir a candidatura democrata na Convenção de Denver (Colorado), que será realizada em agosto. EFE mv/fb

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.