Tamanho do texto

Homem ficou preso embaixo do corpo que estava "preparando" na funerária. Acidentes e lesões estão se tornando mais numerosas por obesidade

Cadáveres acima do peso provocam cada vez mais acidentes de trabalho no setor funerário
STOCKXPERTS / divulgação
Cadáveres acima do peso provocam cada vez mais acidentes de trabalho no setor funerário

Um agente funerário sofreu lesão grave na perna depois de, acidentalmente, deixar cair um corpo obeso que estava na maca. Apesar de inesperado, este não é o primeiro acidente registrado com cadávares pesados. Com o aumento da obesidade ao redor do mundo, se tornou cada vez mais perigoso trabalhar com velórios por causa de acidentes ou lesões ocasionadas pelo manuseio dos de acordo com dados divulgados pelo "The Mirror". 

MAIS EM: Mais de 3 milhões de jovens de 13 a 17 anos estão acima do peso

De acordo com relatório do órgão público de saúde e segurança do Reino Unido, foram registrados 204 acidentes sérios de trabalho no setor funerário em 2015 no conglomerado de países.

Entre os casos estão um funcionário que precisou tirar uma semana de licença do trabalho depois de lesionar as costas enquanto levantava um caixão pesado e outro que quebrou a perna ao tropeçar carregando um corpo obeso para fora da casa onde havia morrido.

Em um acidente mais grave, a emergência precisou ser acionada para resgatar um funcionário funerário que se machucou ao retirar, junto a um colega, um cadáver do banheiro, onde ocorreu a morte.

Além disso, de acordo com o jornal britânico, com corpos maiores e mais pesados, é necessário adaptar a estrutura do funeral, com covas maiores, caixões mais largos e mais resistentes e o uso de guindastes para ajudar a mover o corpo. O uso destes veículos também aumenta o risco de lesões.

Não são só os funcionários que podem se machucar nessas situações.  Um homem estava ajudando a carregar o caixão junto a sete outras pessoas quando sofreu uma lesão séria no ombro, por exemplo. Ao passar pela porta estreita da igreja, quatro das oito pessoas no cortejo precisaram soltar o caixão, resultando em excesso de peso para os quatro restantes.

MAIS EM:  No País, 700 mil sofrem acidentes de trabalho por ano; relembre casos polêmicos

Mas nem todos os acidentes envolveram cadáveres acima do peso. Uma pastora estava ministrando um funeral quando tropeçou em frente ao caixão e quebrou sua perna e quadril. Impedida de se movimentar, ela esperou por 35 minutos enquanto a ambulância não chegava, mas insistiu que o velório continuasse.

Outro funcionário funerário se machucou enquanto verificava se as lápides do cemitério estavam bem presas ao chão. Ele sofreu lesões nas pernas quando acidentalmente empurrou uma das lápides soltas em cima de si mesmo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.