Tamanho do texto

Escultura retrata uma criatura de grandes proporções em formato de besouro escalando uma pedra, cercada por arame

Um novo monumento inaugurado em um templo no Japão pretende homenagear insetos mortos pelos humanos.

Leia todas as notícias do Mundo Insólito

Grupo de 50 pessoas participou da solenidade com Yoro, incluindo um monge que leu sutras budistas
Reprodução/BBC
Grupo de 50 pessoas participou da solenidade com Yoro, incluindo um monge que leu sutras budistas

A escultura retrata uma criatura de grandes proporções em formato de besouro escalando uma pedra, cercada por malhas de arame.

O prestigiado escritor Takeshi Yoro é o homem por trás da ideia, impulsionada, segundo ele, por seu amor aos insetos, informou a agência de notícias japonesa Kyodo News.

Yoro diz esperar que o monumento console as almas dos insetos que ele já matou, e que envie um mensagem de conscientização à sociedade.

"Espero que as pessoas tenham total noção do que seria de nós sem os insetos", afirmou o escritor em entrevista à Kyodo News.

O monumento foi inaugurado há pouco mais de uma semana no Templo Kenchoji, em Kamakura, ao sul de Tóquio.

Na ocasião, um grupo de 50 pessoas participou da solenidade com Yoro, incluindo um monge que leu sutras budistas.

Monumentos em homenagem a insetos não são comuns, mas na cidade americana de Enterprise, no Estado do Alabama, nos Estados Unidos, uma escultura chama atenção.

Trata-se do "Bicudo-do-algodoeiro", no que a cidade chama de "o único monumento do mundo em homenagem a uma peste natural".

A estátua, que retrata uma mulher segurando um enorme besouro, foi construída em 1919, por "profundo apreço" pelos estragos causados pelo inseto nos algodoeiros da região.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.