Tamanho do texto

Tratamento do presidente paraguaio continuará em Assunção, onde ele já tem compromissos oficiais no fim de semana

O presidente do Paraguai, Fernando Lugo, passa nesta quinta-feira por sua primeira sessão de quimioterapia depois que os exames feitos no hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, confirmaram o diagnóstico de linfoma em três partes do corpo, informaram seus médicos.

A sessão de quimioterapia, que será realizada em São Paulo, é a primeira de seis pela qual Lugo passará. No sábado, o presidente paraguaio deve voltar para Assunção, onde continuará com o tratamento, disse o hematólogo paraguaio Alfredo Boccia, um dos profissionais que o atende, em entrevista coletiva no hospital Sírio-Libanês.

Na sexta-feira, Lugo passa o dia no hospital sob observação. Os exames confirmaram o diagnóstico de linfoma em um gânglio inguinal (retirado no último dia 4), em um nódulo no mediastino (que não pode ser extirpado) e em uma lesão em uma região óssea da terceira vértebra.

"Todo o processo de diagnóstico está fechado e começamos agora o processo terapêutico", disse Boccia, após relatar que os últimos exames confirmaram a lesão óssea provocada pelo linfoma e que até agora era desconhecida.

Segundo o médico, após esse resultado, já não é preciso esperar o resultado da biópsia para iniciar o tratamento. Também de acordo com Boccia, é muito difícil que haja metástase no caso de Lugo.

Os médicos explicaram que o tratamento prevê sessões de quimioterapia de entre seis e sete horas nas quais serão administrados cinco medicamentos. Após a primeira sessão em São Paulo, Lugo será submetido a outras cinco em Assunção em intervalos de entre 21 e 25 dias.

Segundo o chefe de Gabinete do Governo paraguaio, Miguel López Perito, após o descanso na sexta-feira, Lugo cumprirá os compromissos programados para este fim de semana. No sábado, Lugo participará em Assunção do Fórum Social das Américas junto aos presidentes da Bolívia, Evo Morales, e Uruguai, José Mujica.

No domingo, estará presente nos atos previstos para comemorar o segundo de seus cinco anos de mandato. Em mensagem enviada aos paraguaios e divulgada nesta quinta-feira pela Presidência, Lugo se disse "aliviado" porque os médicos lhe garantiram que sua doença permitirá que faça "uma gestão normal".

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.