Tamanho do texto

Cairo, 22 out (EFE).- A Liga Árabe condenou hoje as recentes agressões cometidas contra cristãos iraquianos na cidade de Mossul, 400 quilômetros ao norte de Bagdá, que causaram o deslocamento de milhares deles, segundo um comunicado do organismo.

Milhares de cristãos tiveram que fugir nas últimas semanas de Mossul por medo de serem assassinados por grupos extremistas que distribuíram panfletos nas quais ameaçam os membros desta minoria com a morte, caso não se convertam ao Islã, paguem um imposto para serem protegidos ou deixem suas casas.

O secretário-geral da Liga Árabe, Amre Moussa, expressou sua preocupação com estes incidentes e mostrou sua esperança de que as medidas adotadas pelo Governo Iraquiano "coloquem fim imediatamente a estas agressões".

Moussa afirmou que a Liga Árabe, formada por 22 membros árabes, entrou em contato com diferentes responsáveis iraquianos e com o patriarcado de Bagdá para buscar uma solução para o problema.

O secretário-geral da organização que reúne Estados árabes pediu aos diferentes responsáveis políticos e religiosos do Iraque que impulsionem a unidade e protejam os direitos das minorias no país.

EFE hh/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.