Tamanho do texto

Os recentes episódios de violência em Basora (sul do Iraque) convenceram a administração do presidente George W. Bush de que o Irã, e não a Al-Qaeda, é agora a principal ameaça aos seus interesses no Iraque, afirmou o jornal The Washington Post neste sábado.

O WP, que cita um alto funcionário que preferiu não se identificar, assegura que essa opinião determinou uma ampla revisão da política americana na região e fez com que o secretário de Defesa, Robert Gates, se referisse a "maligna" influência do Irã na área.

Durante sua visita a Washington, o general David Petraeus, chefe militar no Iraque, e o embaixador Ryan Crocker apenas mencionaram a Al-Qaeda no Iraque, enquanto se referiram extensamente ao Iraque, aponta o jornal.

Com a "Al-Qaeda em retirada e desorganizada no Iraque, temos outros obstáculos que estavam ocultos: as milícias armadas pelo Irã, que são agora a maior ameaça à ordem interna", diz o Washington Post.

Como resultado deste novo enfoque, o governo Bush iniciou uma nova avaliação do Irã em vários organismos.

Leia mais sobre a Al-Qaeda e o Irã

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.