Tamanho do texto

Ação contra sete núcleos familiares em Nova York e arredores é a maior já conduzida por autoridades federais americanas

Imagem reproduzida de vídeo mostra membros do FBI com suspeito no Brooklyn, Nova York
AP
Imagem reproduzida de vídeo mostra membros do FBI com suspeito no Brooklyn, Nova York
Em uma ampla ação contra sete famílias mafiosas em Nova York, New Jersey e Rhode Island, o FBI e autoridades locais começaram a prender nesta quinta-feira cerca de 130 suspeitos sob acusações que incluem assassinato, extorsão, tráfico de drogas, envolvimento em jogo ilegal e incêndios criminosos, disseram fontes que receberam informações sobre o caso.

Segundo o FBI, a polícia federal americana, a maioria das prisões foi feita pela manhã (hora local) na cidade de Nova York, nos Estados de Nova Jersey e Rhode Island e em outras áreas no nordeste dos Estados Unidos, com a ajuda das polícias locais. "Teve um alcance muito amplo", disse à AFP o porta-voz do FBI, Robert Nardoza, sobre a operação.

O secretário de Justiça dos Estados Unidos, Eric Holder, disse que as prisões representaram a maior operação contra membros da máfia da história do FBI. “Estamos comprometidos e determinados em erradicar esses empreendimentos criminosos e em levar os seus membros à justiça”, disse Holder.

Cerca de 700 agentes – cerca de 500 deles do FBI e o restante policiais locais, estaduais e de outras agências federais – participaram da operação.

A ação começou antes do amanhecer tendo como alvo de apostadores de jogos ilegais e funcionários de famílias criminosas a vários mafiosos graduados e autoridades sindicais corruptas. Entre os presos ou procurados estão mais de 20 membros de famílias criminosas de Nova York e de famílias de New Jersey e New England, juntamente com vários de seus sócios.

Vários dos presos foram acusados de assassinatos - alguns tendo sido cometidos nos anos 80 e 90. Outros foram acusados de extorsão, agiotagem e jogo ilegal, assim como de crimes relacionados aos setores de construção industrial e portuário. As prisões foram fundamentadas em mais de dez indiciamentos separados entregues em cortes federais em quatro juridições.

As históricas cinco famílias de Nova York relacionadas à máfia italiana da Cosa Nostra registraram forte queda de suas fortunas na última década como resultado de depoimentos de renegados que romperam o que já foi considerado um impenetrável código de silêncio.

Membros das famílias mafiosas Gambino, Genovese, Lucchese, Bonanno, Colombo e DeCavalcante estão entre os presos na operação.

Secretário de Justiça dos EUA, Eric Holder (à dir.), e procurador para o distrito sul de Nova York, Preet Bharara, conversam durante coletiva em Nova York
AP
Secretário de Justiça dos EUA, Eric Holder (à dir.), e procurador para o distrito sul de Nova York, Preet Bharara, conversam durante coletiva em Nova York
Informantes

Em um comunicado colocado em seu site, o FBI diz que a operação visou a prender um total de 127 suspeitos. Segundo a imprensa local, algumas das prisões ocorreram após a obtenção de informações por meio de investigações federais e de informantes.

Ex-integrantes da máfia que gravaram milhares de horas de conversas com integrantes das famílias criminosas teriam ajudado na operação, fornecendo provas contra os suspeitos.

O secretário de Justiça disse que impostos coletados pela máfia – muitas vezes exigidos de pequenos empresários e operadores portuários – podem ter um impacto significativo sobre a economia americana.
“(A máfia) é uma ameaça contínua ao bem-estar econômico do país”, disse Holder.

*Com NYT, BBC e AFP

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.