Tamanho do texto

La Paz, 4 abr (EFE).- A explosão que matou hoje um casal de mineradores na cidade boliviana de Oruro aconteceu em meio a uma discussão do casal, em processo de separação, quando detonaram os cartuchos que o marido levava aderidos a seu corpo.

O promotor Aldo Morales explicou à rádio estatal "Pátria Nova" que o casal estava discutindo na praça principal de Oruro e o homem, Ramiro Benito Alipaz, se jogou sobre sua esposa, María Vázquez Mamami de Alipaz.

Ambos caíram no chão e então a dinamite que o marido carregava explodiu, segundo o relato de várias testemunhas interrogados pelo promotor.

"Ajuda, tem dinamite", foram as últimas palavras da esposa, informou Morales.

Quando ocorreu a detonação, uma manifestação de trabalhadores do setor de mineração estava percorrendo as ruas de Oruro e, por isso, várias televisões e emissoras de rádio vincularam, a princípio, o fato com a manifestação.

No entanto, o comandante da Força Especial de Luta Contra o Crime (FELCC) de Oruro, coronel Guido Espinoza, ratificou à Agência Efe que os mineradores mortos não estavam participando dessa manifestação.

Espinoza comentou que o casal passava por desavenças pela manutenção de seus dez filhos.

Uma mulher identificada como Victoria Ojeda ficou levemente ferida pela explosão da dinamite.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.