Tamanho do texto

Washington, 23 abr (EFE) - A secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, reiterou hoje ao ministro de Assuntos Exteriores da Geórgia, David Bakradze, seu forte respaldo à soberania e à integridade territorial do país perante o apoio aberto da Rússia às as regiões separatistas Abkházia e Ossétia do Sul. Em declarações prévias à sua reunião com Bakradze, a titular do Departamento de Estado expressou novamente a grande preocupação dos Estados Unidos com a recente decisão de Moscou de formalizar a cooperação econômica e jurídica com as regiões separatistas georgianas. Nosso compromisso com a Geórgia e com sua integridade territorial é firme, disse Rice, que enfatizou que não deveria haver nenhuma dúvida sobre essa integridade. A responsável da diplomacia externa dos EUA lembrou que na semana passada transmitiu por telefone a seu colega russo, Serguei Lavrov, o posicionamento do Governo do presidente americano, George W. Bush, sobre a decisão de Moscou.

Ela também expressou em outra ligação seu apoio ao presidente georgiano, Mikhail Saakashvili.

Rice também reiterou seu apoio aos "esforços da Geórgia para garantir que os cidadãos da Abkházia e Ossétia do Sul -regiões de maioria étnica russa- se considerem plenamente parte da Geórgia".

A secretária de Estado reiterou o apoio dos EUA à candidatura da Geórgia para uma futura entrada na Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), expressa durante a recente cúpula da Aliança em Bucareste.

Bakradze, por sua parte, agradeceu o "claro e incondicional" apoio dos EUA à integridade territorial da Geórgia e destacou que, com este respaldo, "seremos capazes de superar os desafios" do país, incluindo os derivados de um passo "unilateral" por parte da Rússia, que é percebido como "muito perigoso" e "provocativo".

O ministro de Assuntos Exteriores georgiano também ressaltou o interesse do Governo em chegar a uma solução pacífica no conflito territorial.

O Governo do presidente russo, Vladimir Putin, anunciou na semana passada que formalizará a cooperação econômica e jurídica oficial com as autoridades dos dois territórios separatistas e pró-russos.

Putin recomendou ao Governo e às regiões da Rússia "colaborar com os órgãos de poder da Abkházia e Ossétia do Sul e organizar a cooperação econômica e comercial, social, científica e técnica, e nos campos da informação, a cultura e a educação".

A Geórgia qualificou a decisão da Rússia como um "tentativa de anexação" desses territórios.

Os EUA também estão preocupados com a decisão da Rússia de abandonar unilateralmente o regime de sanções impostas à Abkházia em 1996 pela comunidade pós-soviética, porque acredita que gera dúvidas sobre a transparência militar na região e prejudica o processo de paz. EFE cae/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.