Distúrbios deixam policiais feridos em Londres

Segundo a Scotland Yard, 26 policiais e 3 civis ficaram feridos no protesto contra a morte de um homem por um policial

iG São Paulo | 07/08/2011 09:31 - Atualizada em 09/08/2011 11:48

Texto:
enviar por e-mail
* campos são obrigatórios
corrigir
* campos obrigatórios

Pelo menos 26 policiais ficaram feridos e 42 pessoas foram presas nos graves distúrbios ocorridos em Tottenham, no norte de Londres, onde veículos foram queimados e prédios e lojas ficaram depredados entre a noite de sábado e a madrugada de domingo.

Segundo um porta-voz da Scotland Yard (Polícia metropolitana de Londres), uma manifestação pacífica no sábado à noite - para protestar contra a morte de um jovem por tiros da polícia na quinta-feira - foi tomada por um pequeno grupo de "vândalos descerebrados", que provocaram uma escalada de violência desproporcional. Assista ao vídeo dos protestos: Manifestantes põem fogo em viaturas, prédios e ônibus em Londres

Tudo começou com uma manifestação de aproximadamente 120 pessoas às 20h20 local (16h20 em Brasília) de sábado, perto da delegacia da região de Tottenham para protestar contra a morte de Mark Duggan, baleado pela polícia na quinta-feira passada. Pai de quatro filhos, Duggan, de 29 anos, estava em um táxi, em um incidente que também deixou um policial ferido, em circunstâncias ainda não esclarecidas.

<span>Bombeiros combatem fogo em Enfield, no norte de Londres (09/08)</span> - <strong>Foto: Reuters</strong> <span>Mulher passa por supermercado que foi alvo de ataques em Ealing, oeste de Londres (09/08)</span> - <strong>Foto: AP</strong> <span>Partes de ônibus incendiado são vistas em Croydon, sul de Londres (09/08)</span> - <strong>Foto: AFP</strong> <span>Policial é visto em frente à loja que foi alvo de ataque em Clapham Junction, no sul de Londres (09/08)</span> - <strong>Foto: Reuters</strong> <span>Imagem retirada de video mostra confusão no norte de Londres em meio a manifestação contra morte de jovem (6/8)</span> - <strong>Foto: AP</strong> <span>Oito policiais ficaram feridos em consequência dos graves distúrbios ocorridos durante esta madrugada no norte de Londres (7/8)</span> - <strong>Foto: AP</strong> <span>Policiais em meio a incêndio em Tottenham, em Londres (7/8)</span> - <strong>Foto: AP</strong> <span>Fogo deixou policiais e civis feridos na capital londrina (7/8)</span> - <strong>Foto: AP</strong> <span>Oficiais da polícia tentam controlam distúrbios em Tottenham, no norte de Londres (7/8)</span> - <strong>Foto: AFP</strong> <span>Polícia ficou em alerta depois de distúrbios em Londres (7/8)</span> - <strong>Foto: AP</strong> <span>Policial retira identificação de carro incendiado durante protestos em Londres (7/8)</span> - <strong>Foto: Reuters</strong> <span>
Polícia em meio a distúrbios em Croydon, no sul de Londres (8/8)
</span> - <strong>Foto: AP</strong> <span>Policial é visto em frente à loja de eletrônicos danificada durante tumultos em Enfield, norte de Londres (08/08)</span> - <strong>Foto: AP</strong> <span>Lanchonete McDonald&#39;s foi alvo de ataque em Brixton, no sul de Londres (08/08)</span> - <strong>Foto: Reuters</strong> <span>Policiais forenses examinam local que foi palco de distúrbios em Brixton, no sul de Londres (8/8)</span> - <strong>Foto: AFP</strong> <span>Distúrbios atingiram regiões como Hackney, na segunda-feira (8/8)</span> - <strong>Foto: Reuters</strong> <span>Policial em meio a tumulto nas ruas de Hackney, no leste de Londres (8/8)</span> - <strong>Foto: Reuters</strong> <span>Policiais detêm homem em Croydon, no sul de Londres (8/8)</span> - <strong>Foto: AP</strong> <span>

Loja de conveniência é saqueada em Hackey, no leste de Londres (8/8)
</span> - <strong>Foto: Reuters</strong> <span>Policial é visto perto de carro em chamas no bairro londrino de Hackney (8/8)</span> - <strong>Foto: Getty Images</strong> <span>Policiais patrulham shopping center na cidade de Birmingham (8/8)</span> - <strong>Foto: AP</strong>

A manifestação pacífica tornou-se uma escalada de violência protagonizada por um pequeno número de jovens, segundo a polícia, que provocou cenas de caos. Alguns manifestantes jogaram objetos (como paus e garrafas) contra a polícia, que isolou a área e teve de desviar o trânsito. Alguns manifestantes incendiaram prédios, entre eles um supermercado e uma loja de tapetes, além de um ônibus de dois andares e três viaturas. Vários estabelecimentos comerciais foram saqueados.

Cerca de 100 jovens, alguns encapuzados para esconder o rosto, destruíram vitrines, saquearam estabelecimentos e roubaram móveis, televisores, roupas e outros objetos, levando-os em malas e carrinhos de supermercados.

Os vândalos - adolescentes em sua maioria, segundo a imprensa britânica - também usaram latas de lixo para formar barricadas e dificultar a passagem das viaturas policiais. Além de Tottenham, os distúrbios se estenderam para o norte e o oeste da região, especialmente para Wood Green. Um porta-voz da Scotland Yard confirmou neste domingo que 42 pessoas foram detidas após os distrúbios e 26 oficiais e três civis ficaram feridos. Dois policiais tiveram de ser hospitalizados.

Na manhã de domingo, algumas áreas do bairro continuavam com cordões de isolamento. À BBC, o morador de Tottenham Clasford Stirling, 32 anos, disse que a área onde ocorreram os distúrbios parecia um campo de batalha.

Governo condena ação

O governo do Reino Unido classificou neste domingo como "totalmente inaceitáveis" os graves distúrbios ocorridos ao norte de Londres. Em comunicado, um porta-voz do gabinete oficial do primeiro-ministro britânico, David Cameron, indicou que "não há nenhuma justificativa para as agressões sofridas pela polícia e pela população, nem para os danos materiais ocasionados". "Foi aberta uma investigação policial sobre esses distúrbios. Devemos deixar que esse processo siga seu curso", apontou o gabinete de Cameron.

A ministra do Interior britânica, Theresa May, afirmou que a polícia metropolitana tem o seu total apoio para restaurar a ordem no bairro. O vice-prefeito de Londres, Kit Malthouse, disse que não consegue imaginar qualquer desculpa para o que aconteceu.

"É totalmente revoltante ver isso nas ruas de Londres. Nós faremos todo o possível para evitar que isso se repita", disse. "Entendo que haja impaciência das pessoas [com a investigação sobre o caso Duggan], mas essas investigações demoram".

*Com EFE e BBC

Texto:
enviar por e-mail
* campos são obrigatórios
corrigir
* campos obrigatórios

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG


Previsão do Tempo

Previsão Completa

 
  • Hoje
  • Amanhã

INDICADORES ECONÔMICOS

Câmbio

moeda compra venda var. %

Bolsa de Valores

indice data ultimo var. %
  • Fonte: Thomson Reuters
Ver de novo