Yair Lapid, ministro das Relações Exteriores de Israel
Reprodução
Yair Lapid, ministro das Relações Exteriores de Israel

O ministro das Relações Exteriores de Israel, Yair Lapid, afirmou neste domingo (27) que o novo governo do país irá "ajustar os erros" cometidos no passado com os Estados Unidos.

A fala foi dada após uma reunião em Roma, na Itália, com o secretário norte-americano de Estado, Antony Blinken, e é uma clara referência ao longo período em que o  ex-primeiro-ministro Benjamin Netanyahu ficou no poder. Esse é o primeiro encontro entre os dois aliados desde a posse de Naftali Bennett no cargo de primeiro-ministro , em fato que ocorreu em 13 deste mês.

Para Lapid, esses "erros" acabaram "comprometendo o status de Israel", mas que isso "será ajustado de maneira conjunta". "Eu lembrei para Blinken que Israel compartilha os maiores valores-base dos EUA: liberdade, democracia e paz. Não há relação mais importante para Israel do que os Estados Unidos da América, Não há amigo mais fiel aos EUA do que Israel", acrescentou.

No entanto, a postura em relação ao Irã deve permanecer a mesma para o novo governo de Israel. O chanceler afirmou ter "fortes reservas" sobre o retorno norte-americano ao acordo nuclear, que Joe Biden está avaliando. Washington abandonou o pacto em 2018, sob a gestão de Donald Trump, que tinha um alinhamento automático a Netanyahu.

Por sua vez, Blinken não deu muitos detalhes do encontro e limitou-se a uma breve declaração. "Na agenda, temos várias coisas, entre elas, a situação em Gaza, onde há a necessidade urgente de assistência humanitária e reconstrução. Espero que o trabalho possa ser feito para oferecer um futuro a todos, palestinos e israelenses, com oportunidades iguais e dignidade", disse o norte-americano.

O representante de Biden permanece na Itália até a terça-feira (29) e participa de diversas reuniões políticas, entre elas, um encontro de ministros do G20.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários