Ernesto Araújo
MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL
Ernesto Araújo publicou texto em seu blog pessoal

O Comitê Judeu Americano, uma  associação judaica dos Estados Unidos, pediu que o ministro das Relações Exteriores brasileiro, Ernesto Araújo, pela desculpas por fazer comparação entre quarentena e campos de concentração. O chanceler, no entanto, se recusou.

Leia também: Boa ação na pandemia: americano irá doar dinheiro do governo para quem precisa

Ernesto Araújo comparou as medidas de distanciamento social com campos de concentração nazistas. Em seu blog pessoal, Ernesto publicou no último dia 22 um texto intitulado “ Chegou o comunavírus ”, no qual faz a comparação e ainda questiona a legitimidade de organizações internacionais que auxiliam no combate à pandemia.

O Comitê se manifestou por meio do Twitter, onde escreveu que "essa analogia usada por Ernesto Araújo é profundamente ofensiva e totalmente inapropriada. Ele deve se desculpar imediatamente". O chanceler também usou a rede social para responder, mas se recusou a pedir desculpas.

“Orgulho-me de minha postura de denunciar e combater o anti-semitismo e de meu trabalho pela construção da relação de profunda amizade e parceria desejada pelos povos do Brasil e de Israel”, disse, sem mencionar a associação.

Leia também: Cartunista argentino retrata Bolsonaro e Trump como novo coronavírus

Ele também culpou o jornal Times of Israel por fazer uma leitura equivocada de seu texto que teria resultado na crítica da associação judaica . “Desde o início do governo do Presidente @jairbolsonaro, e sob sua orientação, eu tenho implementado - com total convicção e entusiasmo, e sem medo das mais pesadas críticas - uma política de aproximação sem precedentes do Brasil com Israel e com todo o povo judeu”, disse.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários