País com baixo índice de letalidade pelo novo coronavírus, a Alemanha tem reaberto alguns setores da economia. Lojas com até 800 metros quadrados voltaram a funcionar, assim como livrarias, bicicletarias e concessionárias. No entanto, segundo a priemiê do país, Ângela Merkel , país pode colocar seus esforços a perder se retirar muito rápido as restrições à circulação.

Ângela Merkel
Moritz Hager/WORLD ECONOMIC FORUM
Ângela Merkel

Em discurso a parlamentares, Merkel mostrou preocupação com a “implementação” da saída da quarentena. “Em algumas partes do país ela está sendo brusca, para não dizer muito brusca”, afirmou. Segundo a premiê, medidas de contenção devem ser seguidas ainda por bastante tempo. “Não estamos na fase final desta pandemia, mas no começo ”, declarou.

Leia também: Covid-19: China descobre dois medicamentos específicos para combater o vírus

Com cerca de 150 mil casos confirmados de coronavírus, a Alemanha tem o quinto maior número do mundo, atrás dos EUA e de Espanha, Itália e França, mas com taxas de contágio e mortalidade muito menores; são 6,3 mortes para cada 100 mil habitantes, menos de um quinto das mortes registradas na Espanha (47), na Itália (42) e na França, com 33 mortes por 100 mil habitantes.

Segundo o instituto nacional de saúde, a taxa de contágio na Alemanha está  abaixo de 1, ou seja, cada pessoa infectada por Covid-19 transmite a doença para menos de uma pessoa.

Veja mais: Contrariando cientistas, Trump diz que Covid-19 deve ir embora antes de setembro

A redução da mortalidade também se deve ao fato de o sistema de saúde alemão ser o mais bem equipado da Europa, com a maior taxa de leitos hospitalares e em UTI por habitante do continente.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários