Mercado arrow-options
shutterstock
Restrições de mobilidade e fronteiras fechadas atrapalham abastecimento de alimentos

A Organização das Nações Unidas demonstra preocupação com a possibilidade do surto do novo coronavírus (Sars-CoV-2) desestabilizar a distribuição de alimentos nos próximos meses. De acordo com as autoridades responsáveis, os rumos atuais da doença podem atrapalhar a cadeia produtiva que envolve fazendeiros, distribuidores, entregadores e supermercados.  

LEIA MAIS: Metade dos brasileiros teve renda afetada pela Covid-19

Até o momento, a ONU não apresenta preocupações sobre escassez de alimentos, mas sim com adaptação que o mercado de produção e distribuição global terá que enfrentar. Com fronteiras fechadas, mobilidade reduzida e novos procedimentos para navios e aviões, a indústria já encontra dificuldades de manter a cadeia produtiva da forma que é.

De acordo com as autoridades das Nações Unidas, países que não produzem seus próprios alimentos seriam o grande “grupo de risco” de um desabastecimento global. A preocupação já havia sido retratada em uma declaração do Comitê de Segurança Alimentar da ONU no último mês.

“Governos, empresas e agências internacionais precisam tomar coordenadas urgentes sobre prevenção durante a pandemia da Covid-19 . Há risco de uma crise humanitária e alimentar”, disse a carta aberta de cientistas, políticos e companhias como Nestlé e Unilever.

    Veja Também

      Mostrar mais