Turki Al Malki anunciou cessar-fogo no Iêmen.
Reprodução
Turki Al Malki anunciou cessar-fogo no Iêmen.


A coalizão militar guiada pela Arábia Saudita anunciou um cessar-fogo de duas semanas no Iêmen como forma de conter a disseminação da covid-19, doença caiusada pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2) tanto entre suas tropas como no país atacado.   

A medida, que já entra em vigor nesta quinta-feira (09), foi anunciada pelo porta-voz da coalizão, Turki al Malki . Durante o anúncio, o representante afirmou ainda que espera que os houthis – os chamados “rebeldes” que lutam pela formação de um governo próprio – também acatem a decisão e suspendam os seus ataques.   

Leia também: Na Colômbia, pessoas são presas pelos pés em uma madeira ao violar quarentena

Ainda de acordo com al Maki, a medida é uma forma de atender o apelo do secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, que solicitou um “ cessar-fogo global ” durante a pandemia para permitir a criação de corredores humanitários para atender as populações mais atingidas. 

Desde 2015, a coalizão militar saudita atua no Iêmen para apoiar o governo instituído no país naquele ano. No fim de 2014, o país entrou em uma profunda guerra entre favoráveis ao governo e os houthis, que tem controle sobre diversas áreas do país. No mundo, já são quase 1,5 milhão de casos da Covid-19 confirmados, com 89,4 mil mortes atribuídas. Não há número divulgado sobre a doença no Iêmen, de acordo com o Centro Universitário John Hopkins.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários