duas pessoas apertam as mãos
shutterstock
“Temos que quebrar esse costume", diz infectologista do governo Trump sobre apertos de mão


O diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas, o infectologista Anthony Fauci, afirmou nesta quarta-feira, 8, que a saudação com aperto de mão pode não ser mais parte do cotidiano das pessoas após o fim da pandemia do novo coronavírus . Fauci é o principal especialista em doenças infecciosas nos Estados Unidos e integra a força-tarefa criada pelo presidente Donald Trump .

Leia também: Covid-19 mata mais negros nos Estados Unidos

Segundo o médico, os impactos das ações de prevenção à Covid-19 ficaram marcados para sempre nas pessoas ao redor do mundo. Ele reforça que é preciso esquecer o gesto. “Temos que quebrar esse costume porque, de fato, essa é realmente uma das principais maneiras pelas quais você pode transmitir uma doença de origem respiratória", explicou.

Leia também: Após favorecer China, OMS pode ter contribuição de Trump suspensa

Os Estados Unidos estão em estado de emergência. Dados da Universidade John Hopkins apontam que mais de 24.300 novos casos e 1.495 óbitos foram registrados só no último dia. Hoje também foi divulgado que as mortes pela Covid-19 já superaram a do H1N1 . No total, são 423.135 no país, sendo o maior índice do mundo até o momento.

    Leia tudo sobre: donald trump

    Veja Também

      Mostrar mais