Nesta terça-feira (31), ditador Gurbanguly Berdymukhamedov do Turcomenistão baniu o uso da palavra "coronavírus". A pandemia já infectou mais de 800 mil pessoas no mundo e deixou 39 mil mortos, mas segundo o mandatário, no país a Covid-19 não existe.

Leia também: Covid-19: alta taxa de contágio em jovens surpreende secretário de Saúde do Rio

Gurbanguly Berdymukhamedov arrow-options
Divulgação
Gurbanguly Berdymukhamedov

A proibição da palavra " coronavírus " vale tanto para publicações oficiais como para a imprensa independente e até mesmo para pessoas comuns.

Leia também: Covid-19: Cientistas brasileiros desenvolvem teste de baixo custo

A polícia está autorizada a prender qualquer pessoa que use a palavra em local público, mesmo que seja apenas em uma conversa com amigos. 

Leia também: Covid-19: para não quebrar, comércios oferecem voucher de R$ 100

O ditador Berdymukhamedov comanda o país desde 2007 e, além de " coronavírus ", ele já baniu o uso de outras palavras da imprensa oficial, como "problema”. Localizado na Ásia Central, o Turcomenistão é um ex-integrante da União Soviética e um dos países mais fechados do planeta.

    Veja Também

      Mostrar mais