donald trump
Shealah Craighead/Official White House
Donald Trump, presidente dos Estados Unidos, diz que quarentena não será necessária em Nova York e mais dois estados

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou na noite deste sábado (28), em rede social, que não será necessário aderir a uma quarentena em Nova York, New Jersey e Connecticut, após ter feito consulta aos governadores locais e à força-tarefa de combate ao novo coronavírus na Casa Branca.

Leia também: Mandetta cobra Bolsonaro e diz: "Estamos prontos para caminhões levando corpos?"

Na tarde de sábado, Trump havia admitido a possibilidade de determinar quarentena obrigatória para esses estados, o que não se efetivou após a consulta feita.

"Por recomendação da força-tarefa do coronavírus da Casa Branca e após consulta aos governadores de Nova York, Nova Jersey e Connecticut, solicitei ao CDC (Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC)) emitir um forte aviso de viagem [alertando contra viagens não essenciais por 14 dias] , a ser administrado pelos governadores, respondendo ao governo federal. Uma quarentena não será necessária. Todos os detalhes serão divulgados pelo CDC hoje à noite. Obrigado!"


No mesmo dia, o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) norte-ameericano alertou moradores dos três estados contra viagens não essenciais por 14 dias. "Setores críticos de infraestrutura", incluindo profissionais de transporte, saúde pública, serviços financeiros e suprimentos de alimentos" não estão incluídos na recomendação, segundo comunicado.

EUA já tem mais de 100 mil casos e Nova York é epicentro

O estado de Nova York , que não precisará de quarentena, é o epicentro da doença nos EUA, onde a Covid-19 já tem mais de 100 mil casos confirmados (quase metade está em NY), segundo dados contabilizados na sexta-feira (27).

Uma das medidas anunciadas por Trump foi adotar mecanismo de guerra para lidar com a crise. O governo federal pode, pelo ato de produção de Defesa, obrigar empresas a produzirem o que o estado quiser.

O presidente já defendeu publicamente, por exemplo, que a  General Motors (GM) produza respiradores. A empresa, juntamente com outra companhia, chegou a se aproximar de fechar negócio, mas desistiu pelo valor total, que seria de US$ 1 bilhão.

    Leia tudo sobre: donald trump

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários