Debate democrata
Reprodução CNN
Debate do Partido Democrata entre Biden e Sanders

Os candidatos democratas à Presidência dos Estados Unidos, Bernie Sanders e Joe Biden , participaram de um debate televisivo na noite deste domingo (15) e fizeram diversas críticas à resposta do governo de Donald Trump ao novo coronavírus (Sars-CoV-2).

"Essa é uma emergência maior do nós", disse Biden ao afirmar que a Presidência subestimou o tamanho da crise. O democrata ressaltou que faria "muito mais" se estivesse no governo neste momento e que usaria o Exército para "combater a guerra" contra o vírus .

"Teria recorrido ao Exército de imediato, pois os militares têm a capacidade de construir hospitais de 500 leitos rapidamente. Isso é o que o país precisa", destacou.

Por sua vez, o senador por Vermont disse que é preciso "silenciar agora" o atual presidente. "É inaceitável que ele fique tagarelando informações não factuais que estão prejudicando o povo", pontuou. Sanders ainda afirmou que Trump "está minando e enfraquecendo a posição de médicos e especialistas que estão buscando ajudar o povo americano".

Os dois ainda foram questionados sobre o fato de estarem na faixa de maior risco de morte da doença. Biden, 77 anos, e Sanders, 78, no entanto, reforçaram que estão tomando os cuidados necessários na higiene e que limitaram ao máximo o número de pessoas com quem tem contato direto.

O debate, inclusive, não contou com plateia e teve um reduzido número de assessores de ambas as partes. Até mesmo o cumprimento entre os dois foi feito com um toque de cotovelos.

- Vice-mulher e sistema de saúde universal: Ainda usando o tema do coronavírus como plano de fundo, os dois candidatos abordaram a questão da universalização ao acesso à saúde durante o debate. Enquanto Sanders defendeu uma de suas maiores bandeiras na campanha, Biden usou a Itália como exemplo.

"O nosso sistema de saúde não é preparado para providenciar cuidados. Em um bom ano, sem a epidemia, nós perdemos perto de 60 mil pessoas que morrem todos os anos porque não conseguem ser atendidos por um médico à tempo. Em meio a esta epidemia, há pessoas na indústria farmacêutica pensando 'uau, esta é uma ótima oportunidade para ganhar uma fortuna'", disse Sanders.

Já Biden afirmou que o sistema de saúde universal da Itália não conseguiu evitar que a pandemia se espalhasse por todo o país.

Segundo o candidato, é preciso dar "passos extraordinários" para enfrentar a emergência, mas não é preciso mudar o sistema - apensa reforçar o desenvolvimento do "Obamacare", a reforma sanitária feita pelo antecessor de Trump. "Não precisamos de revoluções, mas de resultados", afirmou ainda.

Os dois democratas, ao serem questionados sobre quem escolheriam para vice-presidente, destacaram que vão optar por uma mulher - mas sem dar pista de quem seria.

A disputa entre os candidatos democratas parece já encaminhada para a vitória de Biden, depois que o establishment se uniu em favor do seu nome. Até o momento, o ex-vice-presidente de Obama tem 890 dos 1.991 delegados necessários para a sua nomeação. Sanders tem 736.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários