Hindus invadiram Mesquita e depois a incendiaram
Reprodução
Hindus invadiram Mesquita e depois a incendiaram


O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, esteva na Índia entre segunda (24) e terça-feira (25), mas a visita foi ofuscada pela onda de violência que eclodiu na capital Délhi durante os últimos dias. Confrontos entre hindus e muçulmanos já deixaram pelo menos 21 mortos e 200 feridos, conforme informações do jornal The Guardian.

Os hindus estão incendiando mesquitas e estabelecimentos relacionados aos muçulmanos, além de estarem praticando violência física. Os hospitais da cidade já registraram casos de feridos com tiros, queimaduras de ácido, facadas e pedradas.

 Além disso, pessoas morreram pulando de prédios para escapar dos ataques. Também já fora registradas duas mortes de policiais. Um deles morreu depois de levar ser ferido na cabeça com uma pedra.

Fora de controle

Durante a tarde de terça-feira, cerca de 500 hindus arrombaram uma mesquita em Ashok Nagar e subiram em uma das torres para estender a bandeira oficial do hinduísmo. Em seguida, incendiaram o local.

“A situação é alarmante. A polícia, apesar dos esforços, não está sendo capaz de controlar a situação. O Exército deve ser chamado e o toque de recolher imposto imediatamente nas demais áreas afetadas”, afirmou Arvind Kerjriwal, ministro-chefe de Délhi.

Lei da cidadania

A tensão religiosa na Índia ganhou força desde que o primeiro-ministro, Narendra Modi, aprovou uma lei que concede cidadania indiana a refugiados das principais religiões do sul da Ásia, exceto muçulmanos. Desde então, começaram protestos contra as medidas.

A onda de violência começou quando um grupo liderado por Kapil Mishra, líder do partido do governo, incitou hindus a removerem um grupo de muçulmanos que bloqueavam uma rodovia em protesto contra a lei da cidadania.

    Veja Também

      Mostrar mais