Bolsonaro e Benjamin Netanyahu em Israel
Alan Santos/PR
Bolsonaro e tem Benjamin Netanyahu como um de seus principais aliados

O governo brasileiro se alinhou a Israel e encaminhou ao Tribunal Penal Internacional (TPI) um ofício pedindo participação na apuração de supostos crimes cometidos pelo país judeu em seu território ocupado na Palestina . O documento enviado por autoridades brasileiras também apresenta argumentos a favor de Israel.

O ofício, datado desta sexta-feira (14), é assinado pela embaixadora do Brasil na Holanda, Maria Regina Cordeiro Dunlop, no qual ela diz que o Brasil quer participar como "amicus curiae" (amigo da corte) na apuração preliminar "A Situação no Estado da Palestina".

Leia também: Confrontos entre palestinos e israelenses aumentam no Oriente Médio

O processo foi iniciado a partir de uma solicitação de cidadãos palestinos e as investigações pretendem determinar se Israel cometeu ou não crimes na ocupação da Cisjordânia e em Jerusalém Oriental. Além disso, serão investigados supostos crimes cometidos por ambos os lados durante o conflito na Faixa de Gaza em 2014.

Para Israel, o processo não tem validade jurídica. O resultado das ações, no entanto, tem deixado autoridades israelenses preocupadas com a derrota política que ele causaria para Tel Aviv .

Leia também: Senado convida Araújo para explicar apoio a plano de Trump no Oriente Médio

No documento encaminhado pelo Brasil ao tribunal, a embaixadora diz que a corte internacional não deveria dar proseguimento ás investigações. A estratégia, segundo Dunlop, deveria ser dar por meio do diálogo político devido à complexidade da situação envolvendo Israel e Palestina.

    Veja Também

      Mostrar mais