Uma proposta apelidada de “Pin Parental” está ganhando cada vez mais espaço dentre os cidadãos espanhóis. Criada pelo partido de ultradireita Vox, a medida defende que pais possam vetar aulas da grade curricular dos filhos, como as de educação sexual, e que as crianças não percam nota por isso. 

Leia também: Homem confessa ter incendiado três igrejas "em nome do black metal"

Bandeira da Espanha
Pixabay
Bandeira da Espanha


A ideia é que os pais possam decidir quais atividades eles não querem que o filho participe, e não se aplica só às aulas de educação sexual: evolução das espécies, formato da terra, história do comunismo e vacinação estão na lista de matérias que a criança não precisa assistir para se graduar. 

Leia também: Moro tenta convencer que PEC da 2ª instância valha para processos em andamento

Em Astúrias e Andaluzia, a proposta foi rejeitada. A medida conseguiu implantação parcial em Múrcia, no sul do país, para atividades complementares. E, em Madrid, o “Pin Parental” ainda está em debate, mas tem forte apoio do prefeito José Almeida (PP). Segundo a lei que está em debate, qualquer assunto que a família discorde da abordagem poderá ser "cancelado" da grade currícular do aluno.

    Veja Também

      Mostrar mais