Tamanho do texto

As sanções do EUA permanecerão em vigor "até que o regime pare de financiar o terrorismo global e se comprometa a nunca ter armas nucleares"

Trump arrow-options
Divulgação/Official White House/Shealah Craighead
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump

O governo dos EUA anunciou nesta sexta (10) as novas sanções contra o Irã que haviam sido prometidas pelo presidente Donald Trump após o ataque contra duas bases militares americanas no Iraque.

Leia também: Bolsonaro chama Joice Hasselmann de 'fofucha' e diz que "mentir engorda"

As medidas foram anunciadas pelos secretários do Tesouro, Steve Mnuchin, e de Estado, Mike Pompeo, e miram oito dirigentes iranianos tidos como responsáveis pelo bombardeio da última quarta (8). Entre eles estão o secretário do Conselho Supremo de Segurança Nacional do país persa, Ali Shamkhani, e o comandante do grupo paramilitar Basij, Gholamreza Soleimani.

As sanções também atingem empresas dos setores manufatureiro, têxtil e siderúrgico. "Os EUA miram oficiais iranianos de alto escalão por seu envolvimento e cumplicidade nos ataques com mísseis balísticos. Também sancionamos as maiores siderúrgicas do Irã e novos setores da economia iraniana, como construção civil e mineração", disse Mnuchin.

Leia também: Jovem é estuprada durante assalto em praia de Salvador

Segundo o secretário, as sanções do EUA permanecerão em vigor "até que o regime pare de financiar o terrorismo global e se comprometa a nunca ter armas nucleares". As medidas bloqueiam propriedades e ativos das pessoas envolvidas que estiverem sob jurisdição americana e proíbem negociações com as empresas atingidas.