Soleimani era figura importante e querida no Irã
Reprodução
Soleimani era figura importante e querida no Irã


Apesar da postura adotada pelo presidente Donald Trump em tratar a morte do general iraniano Qassem Soleimani como um ato de combate ao terrorismo, manifestações de condolências pelo caso estão sendo abordadas com naturalidade dentro do território norte-americano. O Consulado do Iraque na cidade de Detroit , por exemplo, anunciou que estará de portas abertas para aqueles que quiserem prestar homenagens ao militar, morto em um ataque aéreo feito pelos EUA em Bagdá , no Iraque .

No comunicado, o Consulado disse que a ação será feita "pelas vidas dos justos mártires que foram mortos como resultado das recentes incursões americanas no Iraque ". O prédio receberá os interessados entre terça (07) e quarta-feira (08). O convite não foi visto como uma ameaça pelas forças de segurança do país, mas o momento é de cautela.   

Leia também:  Irã considera 13 'cenários de vingança' contra EUA após morte de general

“O FBI em Michigan (Estado da cidade de Detroit) está sempre atento a possíveis ameaças à nossa comunidade e estamos trabalhando com nossa polícia e parceiros, e mantendo contato próximo com a sede do FBI para avaliar quaisquer ameaças à nossa área. Embora não exista nenhuma ameaça específica e credível a essa área no momento, orientamos o público a estar vigilante e relatar qualquer atividade suspeita à polícia", afirmou Mara Schnider, agente do FBI, ao jornal Detroit Free Press.

Qassem Soleimani morreu na última sexta-feira (3), durante um ataque realizado pelos Estados Unidos em Bagdá. No sábado, manifestações foram organizadas para questionar a decisão de Donald Trump, em razão das consequências violentas que o ato ainda pode desencadear. Detroit foi uma das cidades que reuniu centenas de manifestantes nas ruas.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários