Tamanho do texto

Nação lançou campanha para acabar com confusão entre os nomes. Campanha de reposicionamento do governo local custará 200 mil euros

Amsterdã, capital dos Países Baixos arrow-options
Divulgação/iStock
Amsterdã, capital dos Países Baixos

O Réveillon é sempre época de definir objetivos para o ano que vem pela frente e, em 2020, os Países Baixos decidiram que não querem mais ser conhecidos pelo nome Holanda.

Leia também: Tóquio proibirá bebidas alcoólicas na noite de ano novo

A partir de janeiro, o governo local removerá essa denominação de todos os seus materiais e peças de marketing, adotando apenas o nome oficial do país, em uma campanha de "reposicionamento" avaliada em 200 mil euros.

Holanda é o nome da região dos Países Baixos que abriga suas principais cidades, como Amsterdã, Roterdã e Haia, mas, dada sua importância social e econômica, acabou se tornando sinônimo da nação como um todo, inclusive internamente - o site oficial de turismo do país se chama holland.com.

Essa área engloba a Holanda do Norte e a Holanda do Sul, duas das 12 províncias que compõem o território nacional . O governo, no entanto, pretende remodelar a imagem internacional do país para levar turistas a locais menos visitados e aliviar aqueles que sofrem com a superlotação, como Amsterdã.

Leia também: Ucrânia e separatistas pró-Rússia fazem troca de prisioneiros

"É um pouco estranho promover apenas uma pequena parte dos Países Baixos no exterior", disse um porta-voz do Ministério das Relações Exteriores à agência EFE . A campanha inclui um novo logotipo que substitui a tradicional tulipa pelas letras "NL", de "Netherlands", nome do país em inglês.