Tamanho do texto

Decisão causou alvoroço e 18 deputados foram presos durante a sessão

Nova lei de liberdade religiosa aprovada em Montenegro incomodou igrejas arrow-options
Reprodução
Nova lei de liberdade religiosa aprovada em Montenegro incomodou igrejas


Após uma sessão que resultou na detenção de 18 deputados pró-sérvios da oposição, o Parlamento de Montenegro aprovou nesta sexta-feira (27) uma controversa lei de liberdade religiosa , que busca nacionalizar os bens das igrejas do país que não conseguirem provar que pertenciam a elas antes de 1918.

As comunidades religiosas montenegrinas devem apresentar documentos que comprovem os direitos de propriedade antes de 1918 sobre terras, igrejas e mosteir os. Nesse ano, o país perdeu sua independência e ingressou no reino dos sérvios, croatas e eslovenos, progenitor da Iugoslávia . Nos últimos dias, o projeto foi contestado pelos líderes da Igreja Ortodoxa Sérvia , detentora de centenas de mosteiros pela nação.

Leia também: Grupo Estado Islâmico executa mais 11 cristãos na Nigéria

Insatisfação 

O governo negou que queira privar as comunidades religiosas de suas propriedades, mas a Igreja Sérvia insiste que o Estado gostaria de tirar suas posses, incluindo igrejas medievais e mosteiros. Montenegro , que se tornou independente da Sérvia em 2006, tem cerca de 620 mil habitantes, e 72% da população são cristãos ortodoxos.

De acordo com a imprensa local, os 18 parlamentares do partido Frente Democrática , que apoiam as posições da Igreja Sérvia , estão sendo interrogados pelas autoridades. Os políticos fizeram ameaças durante o debate, como causar incidentes e até pegar em armas.