Vladimir Putin
Reprodução/Twitter/KremlinRussia_E
Vladimir Putin

O primeiro-ministro da Itália, Giuseppe Conte, teve uma longa conversa com o presidente da Rússia, Vladimir Putin, durante telefonema na noite desta quinta-feira (26), sobre relação bilateral e as crises na Ucrânia, Síria e principalmente na Líbia. Segundo comunicado do Palazzo Chigi, sede do governo em Roma, os dois líderes "prometeram uma atualização constante em consideração da importância estratégica que a Líbia representa para os interesses italianos".

Leia também: Irã restringe acesso à internet por protestos no país

A conversa acontece após o telefonema entre o ministro das Relações Exteriores da Itália, Luigi Di Maio, e o chanceler russo, Sergei Lavrov, para debater os próximos passos da conferência de Berlim, que deve ocorrer na segunda quinzena de janeiro de 2020. A Líbia vive instabilidades políticas e divisões desde a queda do ditador Muammar Kadafi, em 2011. Hoje, o país não existe enquanto Estado unitário.

Atualmente, Sarraj chefia um governo de união nacional reconhecido internacionalmente pela ONU e que controla a porção oeste da Líbia, incluindo a capital Trípoli. Já Haftar comanda um conjunto de milícias leais a um Parlamento paralelo estabelecido em Tobruk, no leste, que domina a maior parte do território líbio. No primeiro semestre, o marechal iniciou uma ofensiva para conquistar Trípoli, a qual diz estar tomada por "terroristas".

A Itália, antiga metrópole da Líbia, por sua vez, apoia o governo de união nacional chefiado pelo premier. Na última semana, inclusive, Sarraj pediu ajuda à Itália e mais quatro países para conter o cerco a Trípoli. Entretanto, hoje (27), a proposta de missão da União Europeia na Líbia, apresentada por Di Maio, recebeu sua primeira aprovação e deve voltar ao debate em 7 de janeiro. "Este é um importante passo adiante, mas ainda estamos definindo alguns detalhes. A única solução possível para a crise da Líbia é política e não militar", informaram fontes da Farnesina. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários