Tamanho do texto

Avião transportava 17 tripulantes e 21 passageiros, em missão de apoio logístico à uma base localizada na Antártica. Último registro de localização da aeronave aconteceu por volta das 18h da última segunda-feira (9)

Agência Brasil

Planos de voo de avião chileno arrow-options
Reprodução/Força Aérea do Chile
A Força Aérea do Chile compartilhou, junto aos comunicados de imprensa, o plano de voo da aeronave

A Força Aérea chilena descartou hoje (12) a possibilidade de haver sobreviventes da queda de avião que voava em direção a missão na Antártica. "A condição dos restos do avião encontrados torna praticamente impossível a existência de sobreviventes deste acidente aéreo", disse o Chefe do Estado-Maior da Força Aérea do Chile, Arturo Merino Núñez.

Leia também: Chile encontra partes de corpos de passageiros de avião que desapareceu 

O avião militar chileno Hercules C-130 desapareceu na noite de segunda-feira (9), após sair de Punta Arenas, no sul do país, em direção à Base Eduardo Frei Montalva, na Antártica.

Arturo Merino Núñez relatou ainda que partes de corpos humanos foram encontradas hoje no local da queda do avião. “É uma dor que choca todo o país. Queremos dar nossas mais profundas condolências. O país merece saber o que aconteceu".

O ministro da Defesa, Alberto Espina, disse que "é praticamente impossível" que haja sobreviventes e expressou "nosso apoio, nossa dor pelo drama humano que os familiares estão vivendo".

"Dissemos, assim que aconteceu (o desaparecimento da aeronave), que faríamos todos os esforços humanos e materiais para localizar o avião. 48 horas depois encontramos o avião e posso salientar que, para isso, mobilizamos 23 meios aéreos, 14 navais e 8 agências internacionais com capacidade de satélite. Isso nos permitiu localizar o avião”, afirmou o ministro.

Detalhes

O voo, com 38 pessoas a bordo, saiu de Puntas Arenas às 16h55 da última segunda-feira (9), tendo feito seu último informe às 17h44 e seu último registro de localização às 18h13. Após ter se esgotado o tempo de autonomia da aeronave, ela foi considerada desaparecida pelas autoridades chilenas.

Leia também: Johnson x Corbyn: de olho no Brexit, Reino Unido vai às urnas nesta quinta 

O avião transportava 17 tripulantes e 21 passageiros, em missão de apoio logístico à base na Antártica. A região onde o avião desapareceu está localizada em Paso Drake ou Mar de Drake, e é uma extensão de mar de cerca de 800 quilômetros, que conecta o Oceano Atlântico ao Pacífico, entre a América do Sul e a Antártica. Tem uma profundidade média de 3.400 metros. É considerado um dos lugares mais tempestuosos do planeta, com ventos que superam os 70 km/h e ondas de mais de 8 metros de altura.