Tamanho do texto

De acordo com as autoridades parisienses, cidade tem cerca de 620 km de filas e congestionamento, valor que não era registrado há cinco anos


Paris arrow-options
Reprodução
Manifestantes e veículos tomam as ruas da capital francesa neste quinto dia de greve

Os acessos a Paris estão muito complicados nesta segunda-feira (9) devido ao quinto dia de greve contra a reforma das aposentadorias e que afeta, sobretudo, a rede de transportes.

Leia também: Erupção de vulcão na Nova Zelândia mata ao menos cinco; brasileiros escapam

De acordo com as autoridades, há 620 quilômetros de filas de automóveis nos acessos a Paris , um volume que já não se registrava há cinco anos.

Dezenas de milhares de pessoas que habitualmente utilizam os ônibus e metrô optaram por usar o carro particular para ir trabalhar. A chuva que atinge a capital francesa agrava a situação.

Hoje, a nível nacional, estão circulando apenas 20% dos trens de alta velocidade (TGV), assim como as ligações ferroviárias nos arredores de Paris. As ligações regionais estão limitadas a 30% e são muito poucos os trens que fazem percursos internacionais.

Estão suspensas as ligações entre França e Itália. A ligação Paris/Londres está afetada.

Leia também: Em entrevista, Marcelo Odebrecht diz que Lula pediu projeto da empresa em Cuba

É possível que a greve prossiga por conta das tensões entre os sindicatos e o governo do presidente Emmanuel Macron, que se reúne hoje à tarde para analisar os efeitos da paralisação.