Tamanho do texto

Multidões começaram as manifestações antigoverno no início de outubro contra o alto nível de desemprego e serviços públicos insuficientes

Agência Brasil

Adel Abdul Mahdi arrow-options
Reprodução/Facebook Adel Abdul Mahdi
O primeiro-ministro enfrentou um período de intensos protestos no país

O parlamento do Iraque aprovou a renúncia do premiê Adel Abdul Mahdi no último domingo (1), mas os protestos contra o governo prosseguem por todo o país.

Leia também: Protestos contra o governo deixam mais de 300 mortos no Iraque

Multidões frustradas com a situação de alto nível de desemprego no país e serviços públicos insuficientes começaram as manifestações antigoverno no início de outubro. Até agora, 380 pessoas morreram e 16 mil ficaram feridas nos confrontos com as forças de segurança . Abdul Mahdi havia manifestado sua intenção de deixar o poder no mês passado.

Sob os termos da Constituição, o presidente Barham Salih deverá solicitar ao maior bloco no parlamento que indique um candidato para o posto de premiê. Contudo, um processo difícil deverá acontecer, uma vez que o parlamento está congestionado com pequenos partidos.

Leia também: Protestos se intensificam em Hong Kong após meses de agitações

Os que protestam insistem que a renúncia de Adel Abdul Mahdi não é suficiente. Eles tencionam continuar sua campanha, exigindo uma nova eleição parlamentar e uma melhoria dos serviços públicos.