Após críticas por comentário machista, Macri aumentou licença paternidade
Divulgação/PR Ar
Após críticas por comentário machista, Macri aumentou licença paternidade

Um dia depois de fazer um comentário machista , e a 11 dias da eleição argentina , o presidente Mauricio Macri anunciou nesta quarta-feira (16), através das redes sociais, que irá estender a licença paternidade para 20 dias, além de outras medidas relacionadas à primeira infância.

Em baixa nas pesquisas e correndo sério risco de não conseguir impedir a vitória de seu principal rival, o candidato da aliança entre peronistas e kirchneristas Alberto Fernández, no primerio turno, Macri fez o anúncio em uma série de textos publicados no Twitter:

"Queremos melhorar o atendimento a crianças menores de 4 anos e que a partilha de filhos seja mais fácil. É por isso que ampliaremos o alcance dos programas e criaremos benefícios para as famílias", anunciou, dando mais detalhes em seguida: "A licença paternidade e a de não gestantes será de 20 dias. Além disso, os meses de licença sem remuneração poderão ser divididos entre o casal, para promover a igualdade entre homens e mulheres."

Leia também: Argentina aprova lei de emergência alimentar até dezembro de 2022

Na terça-feira (15), ele recebeu uma enxurrada de críticas por comparar kirchnerismo com 'mulher que usa o cartão de crédito e não paga as contas'. Depois, em um comício, pediu desculpas.

Você viu?

"É como ouvi dizer uma pessoa num videozinho que viralizou: isso é como ceder a administração da casa à sua mulher e sua mulher, em vez de pagar as contas, usa o cartão de  crédito. E usa o cartão, usa o cartão e um dia hipotecam a casa. Isso é o que aconteceu", disse.

Num país onde direitos de gênero avançaram muito mais rapidamente do que em outros vizinhos latino-americanos e onde nasceram movimentos emblemáticos do feminismo no continente, como o "Nenhuma a menos" , a frase de Macri teve enorme repercussão na mídia e redes sociais.

Uma das primeiras a responder foi a própria Cristina, que há algum tempo acusou Macri de ser um "machirulo", nova maneira de chamar os machistas na Argentina. "Eu disse para vocês, é um machirulo", escreveu a candidata a vice da aliança entre peronistas e kirchneristas na rede social Twitter.

Leia também: Argentinos tomam a principal avenida de Buenos Aires em protesto contra fome

Pesquisas divulgadas esta semana confirmaram o favoritismo de Fernández, que tem grandes chances de eleger-se no primeiro turno, e mostraram que imagem negativa do governo Macri está em torno de 55%.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários