Médico entrou na justiça após ser demitido
Christian Concern / Divulgação
Médico entrou na justiça após ser demitido

Um médico britânico de 56 anos perdeu o emprego público que tinha há três décadas após se recusar a chamar uma pessoa transexual pela identidade de gênero dela em uma consulta. 

Ex-membro do Serviço Nacional de Saúde do Reino Unido, David Mackereth afirmou que se recusou a seguir ordens do supervisor dele, que o "pressionou a chamar um homem de um metro e oitenta com barba de 'ela' e de ' senhorita '”. 

Uma das justificativas dadas pelo médico ao canal norte-americano Fox News foi que "nenhum médico, pesquisador ou filósofo consegue demonstrar ou provar que uma pessoa pode mudar de sexo". 

Leia também: Brasileira trans é morta com 15 facadas na Espanha; comunidade LGBT pede justiça

O médico entrou com uma ação judicial contra o estado após a demissão, mas perdeu o processo. A corte justificou que as ações deles são "incompatíveis com a dignidade humana”. Apesar disso, utilizando trechos bíblicos como parte da defesa, ele pretende entrar com recurso. 

“Os meus 30 anos de profissão foram considerados irrelevantes em comparação ao risco de outra pessoa se sentir ofendida", reclamou o médico.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários