Tamanho do texto

Psicólogo teria enviado mensagens, se declarado, apalpado e dançado lentamente com jovem de 19 anos durante sessões de terapia iniciadas porque garota foi estuprada na primeira semana de faculdade

Stephen McGinley assediou cliente vítima de estupro arrow-options
Stephen McGinley / Facebook
Psicólogo desistiu de profissão após assédio contra jovem ser descoberto

Um terapeuta norte-americano de 55 anos perdeu a licença para atuar após dar em cima de uma vítima de estupro atendida por ele na Flórida. Stephen McGinley atuava como psicólogo desde 1999 e começou a atender a vítima, de 19 anos, uma semana após ela ser abusada sexualmente na universidade.

De acordo com relatório divulgado pelo Departamento de Saúde da Flórida, o terapeuta começou a flertar com a garota durante as sessões, falando que era era bonita . "Sr. McGinley disse que queria levá-la a restaurantes caros e sentar ao lado dela no sofá, no lugar de sentar em cadeiras separadas", disse o relatório.

Leia também: Jovem de 22 anos sofre estupro coletivo e descobre caso por vídeo na internet

A denúncia também conta que o terapeuta dançou lentamente e apalpou a jovem durante uma sessão, mandando uma série de mensagens sórdidas para o celular dela em seguida.

A garota mostrou as mensagens a um antigo terapeuta , que acionou a polícia. Em conversa com o delegado, o terapeuta disse que a conduta dele não foi ética e que ele fez péssimas escolhas. Em seguida, ele entregou a licença.