Tamanho do texto

Chanceler alemã apresentou tremores em público; "do ponto de vista pessoal, tenho grande interesse em manter uma saúde boa", disse Merkel

Angela Merkel arrow-options
Reprodução/Twitter
Angela Merkel foi eleita a mulher mais poderosa do mundo em 2017 pela sétima vez consecutiva

A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, garantiu nesta sexta-feira (19) que é capaz de cumprir sua agenda e liderar o país, apesar dos episódios em que apresentou tremedeiras em público . Aos 65 anos, ela informou que pretende cumprir seu mandato até 2021. "Também do ponto de vista pessoal, tenho grande interesse em manter uma saúde boa", disse Merkel, em uma coletiva de imprensa em Berlim.

Leia também: Terremoto abala Atenas, na Grécia, e afeta telecomunicações; veja vídeo

"Compreendo as perguntas, mas estou bem", ressaltou.  Merkel já protagonizou três episódios nos quais suas pernas e braços tremeram descontroladamente em cerimônias oficiais do governo. Devido a isso, a chanceler passou a ficar sentada nos eventos e vem sofrendo questionamentos da imprensa sobre sua verdadeira condição de saúde e capacidade de se manter na liderança.

Na mesma coletiva de imprensa, a alemã também abordou outros assuntos da agenda internacional que ganharam destaque na última semana, como os ataques do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, a quatro deputadas democratas. "Quero tomar distância formalmente [desses ataques]", finalizou a chanceler.

Leia também: "População vai defender Eduardo embaixador em Washington", diz Onyx

No entanto, questionada sobre outra polêmica, envolvendo o partido italiano Liga Norte, de Matteo Salvini, e o possível recebimento de dinheiro russo, a alemã foi mais direta: "A Itália precisa dar um esclarecimento". Merkel também anunciou que seu governo deve apresentar até dia 20 de setembro um plano para reduzir as emissões de poluentes na Alemanha. Já sobre a crise imigratória que atinge a Europa, a chanceler voltou a falar que é "um imperativo humanitário" resgatar as pessoas no mar.