Tamanho do texto

Bolsonaro discursou na abertura da 54ª cúpula do Mercosul na Argentina; presidente disse que não há mais espaço para "regimes autoritários"

Bolsonaro e Macri sorriem e acenam em reunião do Mercosul arrow-options
Isac Nóbrega/PR
Em ocasiões anteriores, Bolsonaro já defendeu a reeleição do atual presidente argentino Mauricio Macri

Em discurso na abertura da 54º Cúpula do Mercosul, nesta quarta-feira (17), o presidente Jair Bolsonaro pediu que a América do Sul eleja representantes comprometidos com "a democracia, liberdade e prosperidade".

Leia também: Bolsonaro diz que assume Mercosul para eliminar "viés ideológico" do bloco

Bolsonaro disse que não mais espaço para "regimes autoritários" na região. Neste ano, há eleições presidenciais na Argentina, Uruguai e Bolívia.

"A responsabildiade do voto de cada um de nós para eleger representantes que tenha compromisso com democracia, liberdade e prosperidade (...). Não tem mais espaço para regimes autoritários ", disse o presidente brasileiro.

Ele fez uma referência à expressão "pátria grande", cunhada pelo presidente venezuelano Hugo Chávez, para pregar contra a esquerda. Ao mesmo tempo, sinalizou a aproximação com os Estados Unidos de Donald Trump.

Leia também: Em clima de renovação, Cúpula do Mercosul começa na Argentina

"Não queremos o Mercosul uma pátria grande, mas  que cada país seja grande. Como vemos o Trump falando que quer a América grande, eu quero o Brasil grande, a Argentina grande Bolívia Grande também, Uruguay. É  a nossa vocação", disse Bolsonaro .