Tamanho do texto

Presidente disse que, 'apesar disso', o país caminha para um dos melhores meses de junho da história; entre 2015 e 2018, juros subiram nove vezes

Donald Trump
Shealah Craighead/Official White House - 14.6.19
Trump chama BC dos EUA de 'garoto teimoso' que se nega a reduzir as taxas de juros

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, voltou a criticar o Federal Reserve ( BC norte-americano ) nesta segunda-feira (24) afirmando ser "um garoto teimoso" que se nega a baixar as taxas de juros para estimular o crescimento e contrabalançar as ações dos países concorrentes.

Leia também: Após acirramento de tensões, EUA buscam formar coalizão global contra Irã

Em dois tuítes em tom crítico, Trump disparou contra o BC americano, acusando-o ainda de "não saber o que faz" e de "arruinar tudo".

O presidente critica a instituição por ter subido a taxa de juros "muito rápido", ressaltando que se as decisões adequadas tivessem sido tomadas, o Índice Dow Jones estaria com uma pontuação muito acima do que está hoje, "e o PIB americano poderia ter um crescimento de 4% a 5%".

Leia também: Trump volta atrás e adia deportações de imigrantes ilegais por duas semanas

“Apesar de um Federal Reserve que não sabe o que está fazendo - elevou os juros rápido demais (inflação muito baixa, outras partes do mundo desacelerando, reduzindo ou afrouxando) e de ter realizado um aperto em grande escala, de US$ 50 bilhões por mês - nós estamos a caminho de registrar um dos melhores meses de junho da história dos EUA”, escreveu Trump em uma publicação no Twitter.

Entre 2015 e 2018, o Fed elevou os juros nove vezes, embora alguns economistas reprovem a ação por não ter atuado "fora do tempo" diante dos sinais de desaceleração da economia do país, assim como da economia global.

Leia também: EUA lançam ataques cibernéticos contra o Irã

Apesar disso, na reunião de semana passada - quando manteve os juros entre 2,25% e 2,5% - o Fed afirmou não descartar a ideia de relaxar sua política monetária se a inflação se mantiver em níveis aceitáveis e não houver piora nas relações entre os EUA e a China, mediada por Trump .